domingo, janeiro 29, 2006

Flor Preservada

Colho, maravilhado,
A flor do teu sorriso;
E tudo à minha volta
Se transfigura:
O céu é um mar azul onde navegam aves;
E as montanhas, suaves
Ondulações
Do grande berço maternal do mundo.
Perturbado,
Confundo
As sensações;
E apenas sei que a vara de condão
É o sol de pétalas que me aquece a mão.

Filha:
Os poetas são loucos.
E poucos
Acreditam
Que a loucura
É um dom do eterno em cada criatura.
Mas neste testemunho comovido,
Neste poema erguido
Sobre a campa das horas
Como um facho de luz inconformada,
Terás, intacta, pela vida fora
A rosa da inocência que és agora.


Miguel Torga
Diário VIII- 16/10/1958

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home